Tarde Poética


Um convite inesperado é sempre muito bem vindo. 

Convidaram-me para ir até ao Centro Cultural de Belém, assistir ao Ciclo "Clássicos da Poesia Brasileira do Século XX", sessão dedicada a esse grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade.

Mas não foi fácil! Quando olhámos para o relógio verificámos que estávamos em cima da hora e a chuva não ajudou. Fomos obrigadas a circular muito calmamente pela marginal, mas com os nervos à flor da pele. Não queríamos perder um final de tarde poético. Quando chegámos foi fácil estacionar, mas o relógio continuava contra nós, a sessão já tinha começado. Difícil foi encontrar a sala Luís Freitas Branco. E foi então que me lembrei do poema de Carlos Drummond de Andrade: 

"No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra 
no meio do caminho tinha uma pedra..."

É que parecia mesmo que tínhamos uma pedra no meio do caminho!
Mas quando as probabilidades sugeriam que o destino estava contra nós, uma alma gentil apareceu e tirou-nos a pedra do caminho. Finalmente estávamos a subir de elevador para o primeiro andar e a pedir a todos os santinhos que ainda nos deixassem entrar.

Chegámos atrasadas, verdade! Ainda assim conseguimos entrar ... mas silenciosamente porque na sala já o orador, Arnaldo Saraiva, contagiava a assistência com a magia de Carlos Drummond.

Valeu a pena toda a correria! 
Há segundas feiras que valem a pena ser vividas intensamente!




Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.