6 perguntas a Gustavo Santos


No dia 12 de setembro fui ao lançamento do mais recente livro de Gustavo Santos, "A Verdade do Amor", editado pela Esfera dos Livros. Na altura, falámos da possibilidade de o blog lhe fazer uma entrevista sobre este culminar da trilogia "Ama-te". As nossas agendas são uma coisa muito complicada para conjugar. E o que era para ser uma entrevista presencial, acabou por ser uma conversa à distância de um mail. Mas isso não retira a importância das suas palavras e o sentimento que colocou nas respostas às nossas perguntas.

Tenho um carinho muito especial pelo Gustavo. A sua presença na minha vida é muito recente, mas gosto genuinamente dele. Gosto da sua frontalidade, da sua coragem, da forma como nos transmite a sua alegria de viver e nos faz acreditar no nosso potencial! Sinto-me muito feliz por dizer que tenho nele um amigo!

Quando ele lançou os primeiros livros desta trilogia - o "Ama-te" e o "Ama-te - nível 2", confesso que pensei entrevistá-lo, mas quis o destino que isso só acontecesse agora, no fechar de um ciclo. "Está sempre tudo certo", não é Gustavo?

E aqui está a entrevista! Espero que gostem das 6 perguntas a Gustavo Santos!

1. "A Verdade do Amor" fecha um ciclo e revela um novo caminho. Fala-nos um pouco da Trilogia "Ama-te" e de como estes livros estão ligados entre si. 
"A Verdade do Amor" fecha, de facto, um ciclo, mas abre a porta para uma mudança imprescindível. Este livro é o acesso a uma tomada de consciência chamada Nova Terra. Quem o ler, nunca mais poderá dizer que não sabia deste destino global, nunca mais se poderá desresponsabilizar nem alienar da sua missão de ser feliz e servir a humanidade. Quanto à trilogia, o caminho foi óbvio: primeiro levar as pessoas a alcançar o seu imensurável poder pessoal através de tomadas de decisão; depois conduzi-las a ouvir e a utilizar a intuição em prol das suas vontades, sonhos e no relacionamento com os outros; e por fim fazê-las entender que nunca mais poderão abandonar a verdade que as faz. Ao todo são 360 textos de amor, 360 graus de uma mudança que tem de acontecer e, mais cedo ou mais tarde, vai acontecer. A verdade do amor é que ele triunfará!



2. Vivemos dias conturbados. Acreditas que será necessário chegar a um ponto de rutura para um despertar coletivo? Será que não aprendemos nada com tantas lições que nos ficaram do passado?
Infelizmente, a humanidade só desperta para o amor depois de uma grande dor, as pessoas só voltam a dar as mãos depois de perderem quem amavam sem demonstrar e todas as mudanças coletivas nascem de catástrofes. Enquanto assim for, enquanto não amarmos o suficiente para a dor não se dar, cataclismos suceder-se-ão, traições, mentiras e por aí adiante continuarão a assolar a vida das pessoas. Somos Um e é bom que fique claro que a dor de alguém é nossa também. Seria, portanto, sensato, e como já foi dito, amar o próximo como nos amamos a nós.

3. Quando leio os teus textos relembro sempre a Fábula do Beija-Flor. Sozinha sei que não posso mudar o mundo, mas pelo menos faço a minha parte: ao mudar o meu mundo, contribuo para um mundo melhor. Achas que quem lê e sente verdadeiramente o que escreves poderá contribuir para uma mudança de paradigma? Estará a criar a Nova Terra de que tanto falas neste último livro?
A Nova Terra floresce no interior de cada um, bem dentro de cada uma das nossas casas e famílias. É no nosso ínfimo espaço que começa a maior das mudanças. Como tal, o simples respeito por cada uma das nossas vontades e verdades do outro já contribuem para a elevação do paraíso na Terra. Desejo, naturalmente, que o homem que sou, a verdade que represento e os livros que escrevo atuem como parte da mudança coletiva.


4. O que sentiste quando terminaste "A Verdade do Amor"?
Senti que nunca estive tão perto do amor, tão ligado à essência e tão consciente do longo caminho que tenho e temos todos pela frente. 



5. Esta trilogia foi o concretizar de um sonho? E que sonho era esse?
O sonho de ter escrito mais uma linda página da minha vida. A mim interessa-me saber que fui útil à humanidade até ao dia em que partir. Se partisse agora, teria tido uma vida de sonho.

6. Próximo sonho?
São tantos e estão tantos em andamento que enumerar o próximo seria colocar-me numa posição desconfortável. Vou dando o meu melhor todos os dias; a vida encarregar-se-á de me mostrar qual deles estou pronto para viver em primeiro lugar.



Sê clarividente. Sente o mundo para lá do que vês. Interpreta os outros para lá do que conheces. E entra em contacto com a natureza. É tudo o que precisas.
Gustavo Santos



Já vocês já leram alguns destes três livros? O que mudou nas vossas vidas?

Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.