O Mundo dos Livros, by Anna

livro toda a luz que não podemos ver


Toda a Luz que Não Podemos Ver
Anthony Doerr

O género de ficção histórica é um dos meus preferidos e se a história acontece na época da Segunda Guerra Mundial... ainda melhor.

Toda a Luz que Não Podemos Ver” é, de facto, um desses livros fantásticos e memoráveis. Tinha muitas expetativas antes de ler este livro e devo dizer que superou todas elas.

Não me surpreende que Anthony Doerr, autor norte-americano, tenha ganho o prémio Pulitzer em 2015. Que história e que forma de narrar. Apesar de ser um livro muito descritivo, não é uma leitura pesada, longe disso. O romance é lido muito facilmente, porque os capítulos são curtos e podemos ler cem páginas sem nos apercebermos.

“Toda a Luz que Não Podemos Ver” é narrado a partir dos pontos de vista dos dois protagonistas, Marie-Laure e Werner, que são os dois personagens principais desta história muito bem construída. São dois jovens normais, mas também extraordinários, que tentam viver a vida durante essa época terrível.

A história começa com o bombardeamento à cidade francesa de Saint-Malo em 1944, que quase destruiu a cidade por completo. Porém, as duas histórias deste romance começam alguns anos antes. Para Marie-Laure começa em Paris, quando, ainda miúda, fica cega e tem de aprender a viver com a sua incapacidade e, mesmo não sendo fácil, pouco a pouco, ela vai reconhecendo as ruas da cidade pelos sons que a acompanham e pelo toque de tudo o que a rodeia. Com a chegada dos alemães a Paris, Marie-Laure tem de fugir com o pai para outra casa, outra cidade, com outros sons, outros aromas, outras pessoas...

Para o jovem Werner, a história começa em Zollverein, uma cidade alemã onde a maioria dos habitantes trabalha numa mina. A mina que deixou órfãos Werner e a sua irmã, que por esse motivo vivem num orfanato. Tudo muda quando encontram um velho rádio. E é quando o nazismo começa a ganhar força e arrasta a Alemanha para a guerra que a vida dos dois irmãos se vai transformar para sempre.

Duas histórias totalmente distintas, que correm paralelas uma à outra, até convergirem graças ao poder do rádio que neste livro representa todo o mal e o bem que a tecnologia nos oferece.

Mas não é só de personagens de carne e osso que este livro é construído, Saint- Malo, a cidade francesa com muralhas, que durante a Segunda Guerra Mundial foi devastada pelas tropas aliadas para conseguir a sua libertação, é também um personagem em “Toda a Luz que Não Podemos Ver”, de tal forma que as descrições do autor criam imagens que nos transportam imediatamente às suas ruas, às suas muralhas e praias.

Este é um livro sobre a natureza humana e sobre os horrores da guerra, é um livro duro e emotivo, escrito com uma sensibilidade que trespassa as páginas e comove o leitor.

Boa leitura!

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.