Uma aventura na Arrábida

Gruta da Lapa de Santa Margarida


Este sábado vamos promover Mais Sentimentos Positivos com a Trilhos Nocturnos e a Liliana Patrício (já se inscreveram?) A não perder! Será mais um momento muito especial! Mas não é sobre este evento fantástico (inscrevam-se, já temos poucas vagas!), que vos vou escrever hoje. Embora a Trilhos Nocturnos seja uma peça fundamental nesta história que vou contar. Vivi uma verdadeira aventura na Arrábida (soa a título de livro juvenil) com direito a trânsito infernal, uma visita guiada ao convento que não aconteceu, um chá numa gruta e quase uma escalada para chegar ao topo do mundo. Foi uma tarde em cheio: fomos do inferno ao paraíso em três tempos!  Muitas vezes é nos imprevistos que está a verdadeira diversão.

Na semana passada estive de férias... um cheiro do que está para vir, porque só lá para agosto é que vou mergulhar, a sério, neste estado de espírito que nos enche a alma de mar e de sal. O Bruno (da Trilhos Nocturnos) convidou-me para um passeio à Arrábida. Achei que seria uma forma perfeita de começar o período dedicado ao descanso e ao carregamento de baterias. O passeio perfeito para celebrar o estado de felicidade que se instala numa pessoa quando está de férias!

Lá fomos nós a caminho do que se adivinhava uma tarde recheada de histórias conventuais, mar e serra. Mas antes... tínhamos uma ponte para atravessar. E foi aí que a verdadeira aventura começou... Não! Minto! A aventura começou com o meu atraso... é que eu fui de boleia com a equipa Trilhos e atrasei-me (coisa rara). Eu detesto atrasar-me! Mas aconteceu. Antes de chegarmos à ponte a coisa complica-se. Tentámos todas as estradas e atalhos alternativos e tudo estava entupido devido a um acidente no tabuleiro da ponte. O Bruno começa a ligar para este mundo e para o outro para ver se mesmo à distância conseguia controlar o passeio. Quem é bom profissional não deixa a coisa por menos. Os participantes foram devidamente recebidos no Convento da Arrábida e puderam fazer a visita guiada... já eu... rezava aos santos para que se desse um milagre e o trânsito se desembaraçasse. 

Do trânsito infernal para o Convento 
A malta lá conseguiu chegar, já a visita estava na sua reta final. Da história e estórias do Convento pouco sei, porque guiada não fui. Mas deu para "bisbilhotar" o espaço e para perceber que o edifício foi construído no século XVI e fundado por Frei Martinho de Santa Maria (franciscano)... O espaço é maravilhoso, sente-se o peso dos anos e vibra-se com a vista de cortar a respiração. Local perfeito para retiro, introspeção e devoção. Depois de um trânsito do demo a calma e a paz de um lugar tranquilo erguido no meio da natureza e certamente abençoado. Está na minha lista de locais onde quero voltar!


Convento da Arrábida


Convento da Arrábida

vista do Convento da Arrábida


Tomar o chá das cinco na Gruta da Lapa de Santa Margarida 
Exato! Qual a probabilidade? Só mesmo o pessoal da Trilhos Nocturnos se lembra destes pequenos pormenores que fazem toda a diferença. São aqueles momentos que guardamos para sempre. A Gruta da Lapa de Santa Margarida, situa-se na base da Serra da Arrábida e para lá se chegar desce-se uma encosta com 200 degraus. Até aí tranquilo. A vista é linda e é sempre a descer... Mas depois temos de voltar a subir... Por isso o melhor é rezar junto à capela que existe na gruta (século XVIII) para que a subida seja leve e santa! Ah! E o chá? Que coisa boa. Sentada, a ouvir e a ver o intenso mar, bebendo um chá com sabor a canela. Desliguei, focada no som e no espaço que me rodeava... Por momentos fomos só nós: eu e a gruta. Depois acordei para a realidade dos 200 degraus que me esperavam. 


Arrábida


Gruta da Lapa de Santa Margarida

Gruta da Lapa de Santa Margarida

O Paraíso da Fenda da Arrábida
Paraíso, para quem gosta e sabe escalar! Mas antes de chegarmos ao paraíso dos corajosos passámos pelo Portinho da Arrábida e confesso, que por mim tinha ficado por lá o resto das férias.  Mas quem comandava "as tropas" impôs respeito e ritmo. Estava na altura de começar a subir a serra! What?? Mas afinal ando a treinar para quê? Toca a dar corda aos sapatos e enfrentar a subida como a coisa mais natural do mundo! Só vos digo que valeu tanto a pena! Não é fácil, exige do nosso corpo, mas à nossa volta o verde, misturado com as várias tonalidades do mar, que silencioso espreitava, aligeirou a demanda. A chegada à Fenda da Arrábida foi, para mim, um dos momentos memoráveis desta aventura. Que colosso! E confirma-se, por lá estavam os corajosos a escalar. Foi mesmo aquele momento UAU! Mas a "tropa" segue e sobe!  E por momentos senti-me uma perita em escalada! A fase final do percurso foi bem intensa e cheia de adrenalina. Todos venceram o desafio! O truque? Não pensar muito e confiar na equipa Trilhos Nocturnos que até joelhos esfolados levou para casa no final do dia.


Portinho da Arrábida

Fenda da Arrábida

E com este momento tão especial chegámos ao fim da aventura na Arrábida. No regresso a casa as pernas estavam cansadas mas o coração cheio de energia da boa!

Arrábida

Equipa Trilhos Nocturnos

Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.