Então, queres ser escritor?

projeto então, queres ser escritor?

As letras, os livros, a paixão pela escrita colocaram no nosso caminho a Laura Mateus Fonseca. Adoro quando as nossas vidas se cruzam com a vida de alguém que está na mesma sintonia que nós. Acho que isso não é uma coincidência, mas sim predisposição da nossa parte, abertura para que o universo coloque à nossa frente uma nova oportunidade, uma nova experiência de vida, uma nova pessoa que nos trará crescimento, aprendizagem e muitas coisas boas. É isto que eu sinto em relação à Laura.

Mas, afinal, quem é a Laura?

É editora, gestora de projetos editoriais e consultora para a área editorial. Investigadora do IELT – FCSH/Universidade Nova de Lisboa. Professora nos Cursos Livres de Formação ao Longo da Vida da Universidade Nova de Lisboa. Frequenta o doutoramento em Estudos Portugueses na área de especialidade em História do Livro e Crítica Textual, com o projeto de tese centrado no espólio autógrafo de Mário Cesariny. Produz conteúdos e publicou alguns artigos nesta área de investigação.

Porém, a Laura também é um sorriso sincero e expressivo; é apaixonada pelo que faz; é fácil de se gostar; é dinâmica; é sonhadora e tem olhar cativante! Como eu admiro pessoas assim! 

Num ambiente que é tão dela quanto nosso  a Feira do Livro de Lisboa sentámo-nos para nos conhecermos melhor. Foi entre um mundo imenso de autores, de histórias, de milhões de palavras que nos descobrimos e traçámos algumas ideias futuras que nos levarão certamente numa aventura literária emocionante. 

A curiosidade latente leva-nos a pedir que nos fale mais de si e do seu percurso profissional. 

LMF  Desde muito cedo fiquei cativa do prazer de folhear livros, de ler e reler, de deixar a imaginação voar e voltar com novas personagens e muitas histórias. Desenvolvi e montei dezenas de projetos editoriais de diferentes géneros, de dimensões megalómanas a pequenas dimensões, o que atesta a polivalência habitualmente exigida ao editor. Conversei com muitos autores, revi os seus textos, sugeri, apontei. Desempenhei funções de editora executiva/coordenadora editorial em diversas casas editoriais (Texto Editores, Santillana, Caminho, Grupo Leya). De tanto trabalhar no meio dos livros e com os autores, decidi partilhar e dar a conhecer o meu mundo, por isso faço workshops e formações na área da Escrita Criativa. 

Laura Mateus Fonseca

É neste ponto da conversa que a nossa atenção se prende e suspende...

A determinada altura da sua riquíssima vida profissional nasce a página «Então, queres ser escritor?» onde Laura promove o livro, a leitura, os novel escritores e tudo o que envolve a arte da escrita. Partilha novidades de livros, de acontecimentos sobre os livros, opiniões, dicas e conselhos para quem quer escrever. Organiza periodicamente workshops que recebem o nome da página, onde reúne convidados especiais que revelam os labirintos do escritor; há sempre um laboratório de escrita que orienta com apresentações sobre a génese da escrita.

Quisemos saber mais... 
Como nasceu a ideia do «Então, queres ser escritor?»?

LMF  A ideia da página surgiu primeiro, a partir de uma conversa com um amigo que me desafiou a partilhar o meu conhecimento e experiência adquiridos em mais de 30 anos de trabalho editorial. São infindáveis as histórias sobre o processo de escrita de grandes autores, criando um imaginário tão apelativo como misterioso. Por isso, por que não partilhar? É também uma verdade absoluta que escrever dá trabalho, exige técnica e abnegação, conhecimento e disciplina. Por que não orientar, dar dicas, apresentar técnicas e promover regras de boas práticas na escrita? Ora, o conceito estava delineado faltava o nome, numa pesquisa nos meus livros encontrei um poema de Charles Bukowski  «Então, queres ser escritor?»* – o poeta, contista, romancista que nasceu na Alemanha, mas cresceu em Los Angeles, morreu aos 73 anos, um dos seus livros mais conhecidos publicado entre nós é o romance "Mulheres".
O seu estilo obsceno e coloquial e uma aparente forma irreverente da sua escrita são inspiradores para qualquer novel escritor.

Para a página, serviu de mote e de título e também para os workshops que passaram a ser um ponto de encontro, tertúlia de escrita, promovidos periodicamente (vem aí a 3.ª edição), para quem deseja desafiar o seu próprio talento, exercitar o músculo da criatividade e conhecer de perto os autores que já publicam, clássicos e novos, ilustradores que brincam com as palavras dando-lhes vida colorida e movimento, e outros profissionais do livro. Há sempre muitas novidades, surpresas, letras e músicas e outras escritas no alinhamento destes workshops.

Resumindo «Então, queres ser escritor?» tem como objetivos:

- Fomentar a escrita;
- Conhecer jovens escritores, que ainda estão a trilhar o seu caminho e construir os seus alicerces na escrita;
- Divulgar novos escritores, ajudando na sua promoção e publicação das obras;
- Partilhar experiências e receber inspiração para novos desafios;
- Coordenar iniciativas de autopublicação;
- Promover o aconselhamento editorial junto dos novel escritores.


A ideia é juntar gente da escrita que fale dos labirintos do escritor e gente que trabalhe nos livros, nas suas diferentes etapas, para chegarmos a bom porto nesta esfera da escrita e do papel do escritor.

workshop então, queres ser escritor?

Querem saber mais sobre as atividades desenvolvidas? Nós quisemos!

LMF  Programou-se um ciclo de 3 workshops mistos, a 1.ª parte são conversas literárias e a 2.ª parte uma sessão de trabalho, com o objetivo de apresentar ferramentas úteis e dicas para desbloquear a escrita e organizar os manuscritos para futura publicação, contando com os profissionais que, estando no terreno, podem trabalhar esses manuscritos e estabelecer pontes com o mundo editorial.
O workshop pioneiro teve lugar no CIM – Centro de Inovação da Mouraria, no dia 27 de janeiro, com assinalável sucesso, 36 participantes. Painel e público interagiram positivamente, houve espaço para aprendizagens e resolveram-se dúvidas. O 2.º workshop teve lugar no Polo Cultural |Gaivotas, com cerca de 20 participantes e um painel diversificado: guionistas, ilustradora, cantautor e, no final, um laboratório de escrita.

Depois, promovem-se também workshops de Escrita Criativa, em diferentes locais, com diferentes parceiros/entidades, destinados a públicos diferenciados.
Já decorreram worskhops de Escrita Criativa, com casa cheia e turmas esgotadas, na Hemeroteca Municipal de Lisboa (3 edições, com novas edições a começar em setembro de 2018), na Biblioteca da Junta de Freguesia de Belém (também com novas edições previstas para a rentrée).

Workshop então, queres ser escritor?

workshop, então queres ser escritor?

Workshop então, queres ser escritor?

O que está para vir?

LMF  Será o 3.º workshop do «Então, queres ser escritor?», setembro/outubro 2018, que fecha este ciclo, e, naturalmente, os workshops (de 10 sessões cada) de Escrita Criativa e com novos temas em preparação (para final de setembro/início de outubro 2018). A pensar também num Jantar Literário e num workshop misto Escrita e Ilustração. Ideias não faltam, venham públicos para contarmos histórias e fazermos sentido (ou sentidos) na vida!

Ainda persegue o seu sonho, criar uma escola da escrita. Para já, avançou com o projeto editorial  INFOLIO – na Incubadora de Artes de Carnide


*****

Naquela tarde na Feira do Livro a conversa voou e o tempo também. Mas ficaram ideias para o futuro. Ficou a vontade de fazermos algo em conjunto. Porque nos une o mesmo sentir e a mesma paixão. Acredito que naquele final de tarde de junho escrevemos a primeira página de uma futura e literária parceria.

*****

Ajudamos escritores a criar carreiras, a realizar sonhos, porque acreditamos que o mundo fica melhor com a Tua escrita.


Rosarinho

*
Então, queres ser escritor?

se não sai de ti a explodir
apesar de tudo,
não o faças.
a menos que saia sem perguntar do teu
coração da tua cabeça da tua boca
das tuas entranhas,
não o faças.
se tens que estar horas sentado
a olhar para um ecrã de computador
ou curvado sobre a tua
máquina de escrever
procurando as palavras,
não o faças.
se o fazes por dinheiro ou
fama,
não o faças.
se o fazes para teres
mulheres na tua cama,
não o faças.
se tens que te sentar e
reescrever uma e outra vez,
não o faças.
se dá trabalho só pensar em fazê-lo,
não o faças.
se tentas escrever como outros escreveram,
não o faças.
se tens que esperar para que saia de ti
a gritar,
então espera pacientemente.
se nunca sair de ti a gritar,
faz outra coisa.
se tens que o ler primeiro à tua mulher
ou namorada ou namorado
ou pais ou a quem quer que seja,
não estás preparado.
não sejas como muitos escritores,
não sejas como milhares de
pessoas que se consideram escritores,
não sejas chato nem aborrecido e
pedante, não te consumas com
autodevoção.
as bibliotecas de todo o mundo têm
bocejado até
adormecer
com os da tua espécie.
não sejas mais um.
não o faças.
a menos que saia da
tua alma como um míssil,
a menos que o estar parado
te leve à loucura ou
ao suicídio ou homicídio,
não o faças.
a menos que o sol dentro de ti
te queime as tripas,
não o faças.
quando chegar mesmo a altura,
e se foste escolhido,
vai acontecer
por si só e continuará a acontecer
até que tu morras ou morra em ti.
não há outra alternativa.
e nunca houve.

Charles Bukowski

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.