Frida Kahlo – As Suas Fotografias

Frida Kahlo, as suas fotografias

Durante os dias que passei no Porto, não resisti e visitei pela segunda vez a exposição “Frida Kahlo – As Suas Fotografias”. Já tinha estado em contacto com este riquíssimo acervo em 2011, quando pela primeira vez a curadoria de Pablo Ortiz Monasterio (fotógrafo e historiador de fotografias no México) apresentou em Lisboa (Museu da Cidade) esta mostra.   

Por ser uma grande admiradora do trabalho e da mulher que foi Frida Kahlo não resisti a observar novamente estes seus pedaços de história. Sete anos depois olhei estes olhares com outra profundidade, amadurecimento, compreensão e grande admiração.

Frida Kahlo, as suas fotografias

Rever esta exposição, depois de ter lido o livro “Escritos de Frida Kahlo” - uma seleção de textos de Raquel Tibol (crítica de arte e investigadora) publicado pela Quetzal Editores, - ajudou-me muito a interpretar não só as fotos onde aparece como figura principal mas também as fotos que a artista tirou. Estes seus escritos eram cartas, recados, dedicatórias, postais trocados com amigos, com Diego, com o seu médico, com a sua família… Este livro revelou uma faceta menos conhecida de Frida, a da escrita, que me cativou. É como se de repente a minha caixa de correio fosse invadida por todos estes seus escritos. Senti-me sua confidente. Compreendi um pouco melhor a mulher, a artista, a lutadora. Tudo isto fez com que a exposição tivesse uma perspetiva mais aprofundada.

Escritos de Frida Kahlo

“Frida Kahlo – As Sua Fotografias” está patente no Centro Português de Fotografia, antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto. Sabem o que achei curioso? Este antagonismo, por um lado a exposição numa antiga cadeia, por outra a mulher que não se deixou encarcerar nas dores do seu quotidiano, no sofrimento constante do corpo. Os seus dias foram um hino à vida (com todas as dificuldades que as horas colocavam no seu caminho). A sua força interior é um exemplo para todos nós – “Pés para que os quero se tenho asas para voar”. 

Frida Kahlo, as suas fotografias

Frida Kahlo, as suas fotografias

Foi isto que me tocou profundamente. Foi isto que me emocionou no documentário que decorre em paralelo à exposição, numa outra sala. Este seu poder, esta sua força mesmo quando tudo à sua volta parece quebrar, mesmo quando o seu corpo quebrado a tenta travar, Frida não se entrega e encara a vida, com o seu “olhar frontal”.

Frida Kahlo, as suas fotografias

Rever estas fotos fez-me sentir uma observadora distante da sua vida… dos pedaços da sua vida. Fotografias recortadas, coloridas por si, fotografias com pensamentos e com beijos cheios de batom, fotografias que nos contam os seus amores, as suas dores, os seus amigos, as suas convicções políticas, o seu grande e quase doentio amor por Diego Rivera (seu marido). Foi por isto que tive de voltar a entrar no universo de Frida Kahlo. Senti-lo de uma outra forma. E trazer mais uma lição de vida para casa.

Frida Kahlo, as suas fotografias

Se estiverem pelo Porto ou se passarem por lá até 4 de novembro não percam a oportunidade de viver esta exposição e de assistirem ao documentário. E, já agora, gostava que partilhassem comigo o vosso sentir;)

Frida Kahlo, as suas fotografias

Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.