O meu Top 5 da Comic Con Portugal

A Cave do Markl

Tal como prometido, hoje trago-vos o meu Top 5 da Comic Con Portugal. Demorei algum tempo a preparar este post, gostaria de ter escrito logo após o grande acontecimento de cultura pop, mas não consegui. É que no passado fim de semana deu-me uma daquelas preguiças que me agarrou ao sofá a ver séries e filmes ;) Imaginem!


Comic Con Portugal, 2018


Aqui está o Top 5 de uma estreante na Comic Con Portugal:

1. Lisbon Film Orchestra, uma surpresa melódica!
Foi a primeira vez que me sentei para ouvir tocar esta Orquestra especialista em músicas de grande filmes, daqueles que guardamos para sempre no nosso video-clube do coração. O auditório New Genesis esgotou para ouvir: Star Wars, Harry Potter, Indiana Jones, Mission: Impossible, and so on. Feliz parceria esta, entre a Lisbon Film Orchestra e o Canal Hollywood. Quase que me atrevo a dizer que este foi o melhor momento dos dois dias de Comic Con Portugal. Sabem que a programação do evento é extensa e existem muitas coisas a acontecer em simultâneo, mas quando chegou a hora de selecionar este espetáculo nem pensei duas vezes e acho que foi uma decisão muito acertada. Fiquei com vontade de ir assistir ao espetáculo que a orquestra está a preparar para dia 9 de dezembro no Campo Pequeno.


Lisbon Film Orchestra


2. Filmes Portugueses, o que é nacional é muito bom!
Senti-me orgulhosa por ter estado no auditório Olimpo a ouvir falar da produção nacional. Vêm aí uns filmes bem giros para o final do ano: "Parque Mayer", realizado por António-Pedro Vasconcelos, situa a sua ação em 1933 (início do Estado Novo) durante os ensaios de uma nova revista e que, paralelamente, conta a história de amores, de dramas, de segredos... E onde o monstro da censura começa a devorar a cultura; "Tiro e Queda" do realizador Leonel Vieira, vai arrancar-vos muitas gargalhadas devido à estupidez das duas personagens principais, interpretadas por Eduardo Madeira e Manuel Marques; "SOLUM", ficção cientifica nacional, com realização de Diogo Morgado e produção de Pedro Morgado. É importante reforçar que este filme foi um ato de coragem, porque não teve qualquer tipo de financiamento! Como eu admiro pessoas assim, que não se intimidam com as dificuldades, que encontram 'soluções à MacGyver' quando surgem imprevistos e que levam até ao fim o sonho. A ação passa-se numa ilha exótica e inabitada que é palco de um reality show - SOLUM. No terreno estão 8 concorrentes e o último a desistir será o vencedor. Ou talvez não seja nada disto... É que depois de ter visto o clip de 12 minutos de promoção do filme fiquei com muitas dúvidas... Parece que afinal SOLUM não é uma ilha nem tão pouco um reality show. O filme foi rodado nos Açores e a equipa está de parabéns por ter abraçado este grande desafio. Fico aqui em ânsias até ao princípio do ano, altura em que estreia esta produção que espero, sinceramente, atinja mercados internacionais.


Parque Mayer


Tiro e Queda, o filme


SOLUM

3. A Cave do Markl
Vou confessar publicamente (com a autorização da Susana) que há muito sonhamos com o dia em que as miúdas vão à Cave do Markl fazer-lhe uma entrevista. Misson: Impossible? Talvez. Bom, mas pelo menos uma das miúdas já pode dizer que esteve numa adaptação da Cave do Markl no auditório New Genesis. Assistimos a uma conversa com Filipe Homem Fonseca (argumentista), Filipe Melo (que nesse dia foi duplamente premiado com os Galardões da BD Comic Con para Melhor Álbum e Melhor Argumento de "Comer/Beber"),  Bruno Caetano (animador) e mais dois membros da sua equipa: Manuel Ruas Moreira e Vitor Estudante. A conversa arrancou à velocidade do Super-Homem IV. Filme que deprimiu Nuno Markl de tão ruim que era ;) Opinião partilhada pelos convidados. Eu nunca vi... O Super-Homem para mim sempre foi uma personagem muito estranha... desculpem-me os fãs... Falou-se, também, de nêsperas no cu, de futuros podcasts, e ainda houve uma tentativa de telefonema para o Bruno Nogueira. Tudo isto  e muito mais sempre sob o olhar atento do E.T.


A Cave do Markl


A Cave do Markl


4. Sessão de Lançamento do livro "Três Coroas Negras"
Quando saiu a programação do evento, sinalizei logo a caneta fluorescente "O Feminino na Literatura Fantástica - com Ana Galvão e Andrea Alves Silva". Se os livros estão na minha vida, seria impensável passar pela Comic Con e não assistir a, pelo menos, um painel sobre a temática. E acho que a minha escolha foi muito acertada! Tive o privilégio de assistir ao lançamento do livro "Três Coroas Negras", da autora Kendare Blake, com chancela da Porto Editora e apresentado pela simpática Ana Galvão. Como devem calcular o livro já está cá em casa. Comprei a edição exclusiva Comic Con, com autógrafo da autora e os primeiros dois capítulos do segundo livro. No próximo encontro do nosso Clube de Leitura "Livros à Sexta" vou fazer inveja às meninas (risos). O livro que chegou agora a Portugal já está presente em 14 países e foi bestseller do New York Times. A autora, uma das mais reputadas a escrever sobre o universo feminino, tem um mestrado em Escrita, pela Middlesex University e esteve, virtualmente, presente no lançamento através de uma entrevista que deu à Ana Galvão e que foi previamente gravada. Mas deixem-me desvendar o véu destas Três Coroas: "A cada geração, na obscura ilha de Fennbirn, nascem três irmãs gémeas que terão de conquistar o direito à coroa, lutando por ele até à morte." Estas três irmãs são muito especiais: a Mirabella domina os elementos da natureza, a Katharine ingere venenos mortais e sai ilesa do festim e Arsinoe que ao que parece é capaz de fazer florir a rosa mais vermelha e controlar o leão mais feroz. Já se está a perceber que a luta pela coroa vai ser muito animada!


Três Coroas Negras, Kendare Blake


Três Coroas Negras, Kendare Blake

Três Coroas Negras, Kendare Blake

5. Próximos lançamentos da 20th Century Fox e da Sony
Que delicia e que privilégio! É que assistir aos trailers enquadrados pelo grande Mário Augusto tem outra classe!  Vem aí muita coisa boa para nos arrancar de casa e nos levar a uma sala de cinema! Para isto não ficar muito extenso escolho dois filmes, um é da 20th Century Fox (e ao que parece possível candidato às estatuetas douradas, segundo Mário Augusto) - "7 Estranhos no El Royale" é um thriller cuja ação decorre num hotel decadente, entre Nevada e Califórnia. Sete estranhos, cheio de segredos, que com o desenrolar da noite vão sendo revelados: um padre, um vendedor de aspiradores, duas irmãs fugitivas da polícia, uma cantora soul, um líder de culto e o porteiro do hotel. Da Sony escolhi um filme de muita ação (teve der ser) que tem como cabeça de cartaz Tom Hardy (só um dos meus atores favoritos) - "Venom". O ator encarna o papel de um jornalista, Eddie, que anda a investigar um cientista suspeito de utilizar cobaias humanas nas suas experiências.  Nesta sua investigação, Eddie acaba por ser "apanhado na curva" por um simbionte alienígena que se apodera dele e que lhe concede muitos poderes tornando-o uma máquina assassina.  Vamos fazer uma pausa nos super-heróis. Está na hora da MARVEL ter um vilão cheio de pinta :) Ambos os filmes têm estreia marcada para outubro.


7 Estranhos no El Royale


Venom

Venom

E assim dou por concluída a minha saga na Comic Con Portugal
E vocês estiveram por lá?


Comic Con Portugal 2018
Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.