O Mundo dos Livros, by Anna

A Ilha, de Victoria Hislop


A Ilha
Victoria Hislop

Victoria Hislop, jornalista e escritora britânica, venceu, com o romance "A Ilha", o prémio de melhor autora recém-chegada nos British Book Awards de 2007.

Com uma habilidade requintada, a autora mistura factos históricos e ficção. Com uma excelente prosa, descrições maravilhosas e uma grande sensibilidade, conta uma história dura, que fez de "A Ilha" um sucesso mundial de vendas quando foi publicado em 2007 e que ainda continua a encantar.

Tudo  começa quando Alexis, uma jovem arqueóloga britânica de origem grega, decide viajar para Creta com o seu noivo e tentar desvendar o misterioso passado da sua família. Antes de partir, a sua mãe dá-lhe uma carta para que ela a entregue a uma amiga de infância, prometendo que isso a ajudará a desvendar os acontecimentos que marcaram a sua família, começando pelo terrível destino da sua bisavó Eleni, condenada ao exílio na ilha de Spinalonga depois de ter contraído lepra em 1939.

E é em 1939 que começa a verdadeira história, a de uma família de uma aldeia em Creta que vive em frente a Spinalonga, uma pequena ilha que está intimamente ligada às raízes de Alexis, de uma forma que ela nunca poderia imaginar.

Spinalonga abandonada, e hoje em dia visitada só por turistas, foi na verdade uma colónia de leprosos de 1903 até 1957. A ela iam parar a maioria dos gregos que contraíam uma das doenças mais antigas e estigmatizantes do mundo, a lepra.

E é em redor deste tema tão interessante que gira a trama desta história. A pessoa que fosse diagnosticada com a doença deveria abandonar a sua casa e ir para a ilha, onde ficaria até ao fim dos seus dias. Ali, foi erguida uma pequena vila, com uma igreja, hospital e escola. É à sombra de Spinalonga que giram as vidas dos personagens, começando por Eleni, a bisavó e professora numa vila de pescadores, e as suas duas filhas, Anna e Maria, as verdadeiras protagonistas deste romance.

Não é a primeira vez, num romance, que um personagem esconde o seu passado familiar durante anos, a verdade é que é um assunto bastante banal em muitos livros, mas a falta de originalidade no início é rapidamente esquecida. Antes de nos darmos conta, já estamos imersos na vida de Plaka, a vila de pescadores, na de Spinalonga, a ilha dos leprosos, e na vida de uma família marcada pela adversidade e pela tragédia. Com uma prosa ágil, boas descrições, um grupo de personagens bem desenhadas e uma história comovente, Victoria Hislop toca no leitor, para lembrar que o amor é a força mais impressionante da natureza.

Esta é uma bela história sobre valores familiares e de amizade, um romance que adorei e recomendo vivamente.


A Ilha, de Victoria Hislop

Boa leitura!

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.