3 dias em Londres

Richmond, Londres

Na Páscoa, apanhei o avião e voei até Heathrow. Foi uma das melhores coisas que fiz nos últimos tempos. Já estava com saudades de ir além-fronteiras. E, principalmente, estava com saudades dos meus queridos amigos que vivem em Whitton. Foram três dias maravilhosos. Companhia perfeita e passeios inesperados, daqueles que só fazemos quando temos uns excelentes anfitriões. Hoje não te trago um roteiro para visitares Londres, isso fez a Andreia Moita, e muito bem, no seu blog. Quero contar-te como foram especiais estes meus 3 dias em Londres.


viajar para Londres

Foi a minha segunda vez em terras de Isabel II (espreita aqui um post de 2012). Não levava grandes planos na mala. Visitar o Mercado de Portobello era a única coisa que não queria que falhasse da minha pequena lista de desejos londrinos. Já lá vai o tempo em que a lista era gigantesca e acabava por me stressar, porque queria ver tudo. Isso mata a magia de qualquer viagem.

Vamos lá começar este passeio por Londres, ao sabor da amizade e do inesperado.

A aventura de chegar a Whitton e as suas pequenas maravilhas

O dia começou bem cedo. Só para teres uma ideia, cheguei ao aeroporto às 4h30 da manhã. Em épocas como a Páscoa, mais vale ser-se cautelosa. Foi com uma cara de sono, mas já com o entusiasmo a despertar, que embarquei rumo a uma das minhas cidades preferidas. O atraso na descolagem e na aterragem moeu-me o espírito e um corpo que amanheceu antes das galinhas. Em Heathrow, a ideia era apanhar o metro, o autocarro e depois o comboio para o abraço mais que esperado dos amigos. Mas, nesta brincadeira, perdemos quase uma hora entre trocas de meios de transporte e enganos nas paragens (tipicamente meu!). Finalmente em Whitton, esperavam-me dois sorrisos abertos e sinceros e o tal 'abraço casa'. Não foi fácil chegar, mas depois de lá estar já nem me lembrava das peripécias, apenas me deliciava com a arquitetura, com as cores de uma Londres inesperadamente primaveril, com as conversas que foram fluindo da estação de comboio até à casa da querida Dê. 


aeroporto de lisboa

Estação de Feltham

primavera em Londres

Whitton é uma vila nos arredores da capital, calma, familiar e cheia de encantos. Depois de um almoço que deu alento (na casa da minha amiga), saímos para descobrir as belezas locais. Sítios a que o comum turista não vai!  Primeira paragem na Biblioteca de Whitton (porque terá sido?). Era Sexta-feira Santa. Estava fechada. Fizemos a foto para marcar o momento e a Dê falou um pouco das atividades que dinamizam... Só não fiquei a saber se têm um clube de leitura. E, numa das esquinas que dá para rua principal, a High Street, rendi-me a um dos edifícios mais giros da vila - The Admiral Nelson Fuller's Pub & Restaurant. Estava aberto, mas não entrei, tinha acabado de almoçar e ao final do dia esperava-me um churrasco no backyard dos meus amigos. Mais uns quantos passos e eis que surge a avenida principal. Lojas, cafés, gente a preparar-se para o St. George's Day. Entrei em quase todas as Charity Shops (lojas em segunda mão, cuja venda reverte a favor de um projeto ou causa). Contou-me a minha amiga que as pessoas adoram estes espaços comerciais, porque os produtos têm muita qualidade. Estive tentada a comprar uma gabardina vintage. Bem me arrependi! As Charity Shops são muito atrativas. Têm roupas, artigos de decoração, livros, vinis... Na próxima visita tenho de abrir os cordões à bolsa. 


Biblioteca de Whitton


The Admiral Nelson Pub em Whitton


The Admiral Nelson Pub em Whitton


Whitton

Explorei esta simpática vila e a sua vida a pulsar. Adorei! O dia terminou com o tal do churrasco, que soube muito bem. O querido Russel está aprovado. Conheci um casal de amigos dos meus amigos muito querido que (imagina!) tinha estado em Cascais há pouco tempo. Caí na cama, relembrando os momentos do dia e pensando que a alegria das viagens está, também, nas pequenas coisas: numa vila nos arredores de Londres, num passeio na rua principal, nos pequenos pormenores das casas da vizinhança, no Quiz da Páscoa que joguei com a Sofia (filha dos meus amigos). Adormeci feliz.

flower

Easter Quiz

Pastéis de nata do Lidl e um dia no centro de Londres

Amanhecer em terras de sua majestade teve o seu encanto. Abrir a janela e ser agraciada pela arquitetura tão típica daquelas casas (gosto mesmo) foi muito bom! Desci para o pequeno-almoço. Era dia de festa em Whitton. A comunidade estava a preparar as celebrações do dia do santo padroeiro, São Jorge. Decidimos que, antes de seguirmos para o centro de Londres, daríamos um pulinho à festa, só não ficaríamos para a massive parade (para tristeza da Sofia). Porém, compensei-a com uma visita à loja da M&M's. Com o café da manhã serviram-se pastéis de nata quentinhos do Lidl perto de casa. O meu amigo Russel estragou-me com mimos! Sabor português numa mesa de gente que se ama. Já para não falar dos ovos mexidos e do salmão fumado! 


Whitton

Seguimos para a festa. A High Street estava fechada ao trânsito. Afinal, era o maior evento comunitário do ano. Música ao vivo, comida, barracas com divulgação de produtos e serviços locais, diversões para as crianças tudo o que possas imaginar. E eu ali a viver aquilo como se fosse parte da comunidade... na verdade fui! 


Whitton

Depois, a bela cidade de Londres esperava-nos. Lembras-te de te ter dito o que não podia falhar da minha pequena lista de desejos londrinos? Já lá vamos. Com um dia cheio de sol e as temperaturas perto dos 30º (os ingleses estavam genuinamente felizes) fomos sem demoras até ao Hyde Park. Queria muito visitar o Memorial da Princesa Diana - Diana, Princess of Wales Memorial Fountain. Aquele local foi criado com o sentido de refletir a vida da mulher especial que foi Diana. Ali, todos se divertem, todos molham os pés, brincam na água fresca constantemente renovada. Um oásis de alegria. Os designers responsáveis pela fonte (Kathryn Gustafson e Neil Porter) pretendiam que os visitantes sentissem a proximidade e a aclamada abertura de Diana. É daqueles espaços que nos abraçam. Esquecemos as horas e aproveitámos o momento. A Sofia estava, especialmente feliz com pezinhos dentro de água.


Hyde Park


Hyde Park, memorial da Princesa Diana


Hyde Park, memorial da Princesa Diana

Depois de uma prolongada visita à loja da M&M's (acho que a Sofia me perdoou por não termos assistido à parade) e de um almoço foras de horas, bem divertido e caricato em Covent Garden (tanto procurámos que acabámos por 'cair' numa tasca 'refinada') fomos para Portobello Market. E sabes que mais? Achávamos que o mercado estava a funcionar até às 19h00... Isso mesmo, achávamos! Já toda a gente estava a guardar os tarecos quando chegámos. Lembras-te? Era a única coisa que não queria falhar da minha pequena lista de desejos londrinos. (risos) Mas a verdade é que nos divertimos na mesma, porque Notting Hill é um sonho. E depois do sonho, o regresso a casa com o coração cheio.


M&M's em Londres


Notting Hill


London Cat


Richmond Park e a casa de Freddie Mercury (it's a kind of magic)

No dia de Páscoa, a família conseguiu estar toda reunida (o Russel teve uma folga parcial) e fomos até Richmond, um bairro residencial junto às margens do rio Tamisa. Uma coisa muito chique, segundo soube. Como o centro estava bem tranquilo, porque era Domingo da Ressurreição, os nossos amigos levaram-nos a um dos maiores parques reais de Londres, o Richmond Park. Fiquei encantada com as manadas de veados que salpicam a paisagem. São 955 hectares de terreno para passeios de bicicleta, caminhadas, piqueniques, passeios a cavalo, etc. Nós fomos de carro e como não houve paragens não tenho fotos (desculpa). 

Mas a surpresa do dia estava para chegar. Tipo o ovo de Páscoa escondido no jardim, estás a ver? Logo a seguir ao almoço, o Russel voltou ao trabalho, mas deixou-nos numa rua de Feltham onde existia uma casa especial. Andámos um pouco e lá estava ela, discreta. Uma casa como as outras, não fosse a placa azul na sua parede. Foi nela que viveu Frederick Bulsara quando, aos 17 anos, se mudou para lá com os pais. Sim, eu estive junto ao muro da casa onde viveu Freddie Mercury! Que ovo de Páscoa fabuloso! Lembras-te como eu amei o filme "Bohemian Rhapsody"? E por isso este momento, ainda que breve (a casa não se visita porque pertence a particulares), foi muito especial, para mim e para a Dê, grande fã deste one man show


Casa de Freddie Mercury em Feltham


Depois desta emoção, regressámos a Whitton a cantarolar as músicas dos Queen (a banda sonora do dia), onde nos sentámos para um café e conversa solta. O fim de semana XL estava a chegar ao fim e o voo para regressar a terras lusas impunha-se a cada minuto que passava. Mas ainda deu tempo para visitar a igreja de St. Philip and St. James... Era dia de Páscoa, certo?


Costa Coffee


St Philip e St James Church

O que ficou desta viagem? Os abraços, as gargalhadas, as brincadeiras, os passeios inesperados, as novas amizades e a promessa de um regresso para breve. Londres fica já ali e agora 'tenho' uma casa em Whitton.


Whitton
Rosarinho

2 comentários

Andreia Moita disse...

Obrigada pela referência querida Rosarinho. Fico contente que tenha sido feliz em Londres, cidade da qual só gostei à segunda visita. Adorei a parte em que te perdes nos transportes e em que chegas depois da “festa” acabar, não é que goste da tua desgraça, é sim porque me identifico ahah, totalmente podia ter sido eu!! Um grande beijinho

Armazém de Ideias Ilimitada disse...

Fui muito feliz em Londres. Eu identifico-me bastante com aquela cidade e estar num local que amamos com pessoas que nos são queridas, aumenta o encanto da coisa.
Entendes-me não é verdade? Sou um perigo... mas se assim não fosse não teria estas peripécias para contar ;)
Beijinhos

Com tecnologia do Blogger.