Fruta da Época, by Cláudia Silva Mataloto

Nozes de Cascais

Hoje vais aprender a fazer as Nozes de Cascais! Pode ser? Estamos a menos de uma semana de saber quem será o semifinalista por Lisboa das 7 Maravilhas Doces de Portugal®. No dia 14 de agosto, a RTP 1 vai estar em direto da capital e tudo se irá decidir. Tu já sabes que as miúdas estão a fazer campanha pelas Areias e pelas Nozes de Cascais. Por isso, a receita deste mês, da Fruta da Época, é bastante desafiadora. A Cláudia vai partilhar contigo uma receita baseada na obra "Cozinha Tradicional Portuguesa", da autoria de Maria de Lourdes Modesto, e que está no seu livro "Receitas de Reis e Pescadores". Já te falámos muitas vezes deste livro. Ele é um verdadeiro tesouro, porque nas suas páginas tem gravada a memória do património gastronómico do concelho de Cascais. 

Porém, antes de passarmos à receita tens de votar nas Nozes! Já votaste? 760 107 123 (custo da chamada 0,60€ + IVA). Tens até dia 14 de agosto para ligares para o número mágico. E por que é que eu estou a ser tão chata? Por que é que te estou a pressionar para votares? Está na altura de te contar uma novidade (vais ter de esperar mais um pouco para teres acesso à receita). Eu sou a líder de claque das Nozes de Cascais!!! Sim! Sou aquela que vai fazer barulho, que vai chatear meio mundo para votar nestes maravilhosos doces conventuais, que vai fazer figuras em frente ao ecrã da televisão! Mas o que é que eu não faço pelas minhas Nozes? Valham-me os Carmelitos Descalços!! Foram eles (pensa-se), os primeiros a porem a mão na massa deste doce conventual e a fazerem na perfeição o seu vidrado. Se as Nozes de Cascais nasceram no século XVI, no Convento da Nossa Senhora da Piedade (atual Centro Cultural de Cascais), e sobreviveram até aos dias de hoje... é porque são mesmo muito boas! Se eu sonho que vocês não votaram, vou ficar em ponto de rebuçado (760 107 123)!

Nozes de Cascais

Nozes de Cascais

Nozes de Cascais

Agora um parênteses. Este meu papel de líder de claque está associado ao novo desafio profissional que abracei recentemente e que me arrebatou o coração. Prometo falar-te dele lá mais para a frente. 

Voltando às Nozes, e ainda antes de te revelar a receita, quero dizer-te que estes tesouros ancestrais, também, têm uma madrinha! Rufem os tambores... a Tia Cátia! Só podia ser ela! Natural de Cascais, confeciona as Nozes desde miúda. Aprendeu a fazê-lo através do livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto. E não perde a oportunidade de ensinar a fazer este doce conventual nos seus workshops.

E agora sim. Vamos à receita!

Rosarinho

Nozes de Cascais

Nozes de Cascais


Ingredientes:

Nozes
100 ml de água
125 g de açúcar
6 gemas
125 g de amêndoa moída
Açúcar em pó
20 nozes

Vidrado
100 ml de água
250 g de açúcar
3 gotas de sumo de limão ou vinagre
Óleo q.b.
Preparação:
Faz uma calda com a água e o açúcar até atingir o ponto de pérola (108 ºC). Retira do lume e junta, em fio, as gemas previamente misturadas. Acrescenta a amêndoa moída e leva novamente a lume brando para engrossar, mexendo sempre. Verte para uma travessa e deixa arrefecer (enquanto arrefece, liga o 760 107 123). Molda a massa de ovos e amêndoas em bolinhas, com a ajuda de um pouco de açúcar em pó. Sobre cada bolinha coloca meia noz.

 - Vidrado (a parte desafiante)
Prepara o vidrado, fazendo uma calda com água e açúcar, até atingir o ponto de rebuçado (126 ºC). Retira do lume e adiciona o sumo de limão. Com a ajuda de dois garfos, passa as bolinhas pela calda de açúcar e coloca a secar, sobre uma superfície untada com óleo ou uma grelha. Depois de bem secas, apara o açúcar com uma tesoura e coloca-as em caixinhas de papel frisado.


Nozes de Cascais


Senta-te num local calmo e relaxado. Pega numa Noz, fechas os olhos e trinca. Deixa-te invadir pelo sabor, pela doçura do momento. No fim chupa os dedos. Esquece 'o parece mal' e delicia-te! Tenho a certeza que no século XVI os frades Carmelitos faziam o mesmo.


Nozes de Cascais


As fotografias com o nome da autora  Teresa Aires – “The Light Place” foram gentilmente cedidas pela Câmara Municipal de Cascais.

Cláudia Silva Mataloto

Fruta da Época

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.