O Mundo dos Livros, by Anna

Livro A Educação de Eleanor

A Educação de Eleanor
Gail Honeyman

Apesar de, no princípio, este livro não me ter despertado muito a atenção, quando saiu nas livrarias, aos poucos, aguçou a minha curiosidade. De repente, tornou-se num best-seller. Havia qualquer coisa nele que o levou a transformar-se num êxito tão grande. Decidi dar-lhe uma oportunidade.

A protagonista desta história é uma mulher, na casa dos 30 anos, muito especial, que trabalha como contabilista numa empresa de design gráfico. Não é muito querida pelos colegas, que a acham um pouco estranha. Vive sozinha num apartamento cedido pelos serviços sociais.

Eleanor teve uma infância complicada, vivendo em diferentes casas de acolhimento e só podendo falar, por telefone, uma vez por semana com a sua mãe, uma mulher cruel e pouco maternal sempre pronta para criticar a sua filha.

Apesar de ser avessa a eventos sociais, é num concerto que se enamora por um cantor de um grupo de escasso êxito e começa, então, a tentar mudar. Ela, que sempre foi como uma formiga, trabalhando e poupando dia a dia, por fim, dá-se ao luxo de mudar o seu aspeto e começa a seguir o cantor por quem está obcecada. E é quase ao mesmo tempo que conhece Raymond, que trabalha como informático na mesma empresa que ela, e que se torna num bom amigo.

"A Educação de Eleanor" é uma história que fala de solidão e desapego, através de uma mulher que nunca teve ninguém a seu lado. Nunca teve uma pessoa amiga ou familiar que lhe desse o calor e o carinho que todos necessitamos. Por esse motivo, Eleanor não aprendeu a relacionar-se com as pessoas. Diz sempre o que pensa, sem filtros, sem ser consciente das consequências da sua frontalidade. Eleonor é uma personagem que nos vai conquistando à medida que a vamos conhecendo mais profundamente. É daquelas personagens que nos fica na memória, porque é completamente fora do comum.

Este é um romance muito diferente do que estou habituada a ler e é verdade que me trouxe uma alegria inesperada. Eleonor converteu-se numa amiga, muito estranha e cheia de manias, mas não pude deixar de apoiá-la e de querer o melhor para ela. 

Também Raymond nos conquista desde o início, pela sua capacidade de ver mais além da aparência e dono de um coração enorme. Já a mãe de Eleonor é uma psicopata abusadora e cheia de ódio que encarna o Mal.

Eleonor vai avançando com a certeza de que ninguém a odeia, que ela pode e tem o poder de fazer mais coisas do que pensava, que o contacto com as pessoas não é assim tão mau. Uma vez que entramos no mundo de Eleonor já não podemos sair, temos de ficar, só para descobrirmos o que vai acontecer.

E o amor?! Esse é o fio condutor desta história, pois é por amor que ela começa a mudar. Embora o amor seja apenas da parte dela. É um amor adolescente, pouco racional e sem sinais de vir a terminar bem, mas quem sabe?

Eleanor Oliphant é talvez uma das personagens que mais me surpreendeu até hoje, porque é sólida e real, única e profunda.

Gail Honeyman criou uma personagem forte e terna. Eleanor é uma sobrevivente que conseguiu ultrapassar uma infância traumatizante e, talvez por isso, seja antipática, receosa e até desconfiada. Aos poucos, a autora vai-nos revelando outra faceta de Eleanor, a de uma pessoa que, apesar dos traumas e da solidão, é capaz de sentir amor e empatia pelos outros.

É uma leitura divertida, sensível e muito agradável, que, sinceramente, recomendo. É uma bonita história de superação e aprendizagem que não podes perder.

Boa leitura!
Anna

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.