Uma lufada de romantismo, by Filipe Correia


A tempestade passou, não sei se vem a bonança. Sei que os raios de sol me entram pela janela tomada de assalto, como o meu coração foi por ti... Sei que continuo aqui, forte como sempre, intenso como só sei ser, íntegro como nasci. Um vento ou outro mais forte ajuda-me a varrer tudo o que me tapa o sol. Destapa-te tu também e coloca a nu tudo o que quero abraçar: tu, despida de medos.

Eu sei que não me demoro, ainda assim, se apareceres por aqui, deixei a chave na porta. Entra e ocupa o lugar que é só teu, dentro de mim.


Aqui onde o horizonte se mistura com o teu sorriso em mim, tudo acalma a dor da saudade.
 
Aqui onde o rio nunca seca, as palavras nunca deixam de correr e tu nunca deixas de estar na minha mente.
 
Nesse teu corpo curvilíneo, por entre colinas que subirei numa só pedalada, descobrirei calores novos, risos, gemidos, contorções de prazer, contrações de libertação e devolver-te-ei ao que realmente pertences e onde me propus colocar-te: no limbo a que chamam felicidade.
 
Tu nem imaginas onde eu fui para me aprimorar. Desci ao subsolo, aos sítios escuros onde moram os teus receios e ressurgi limpo à superfície. Mudei a rota do meu voo, ampliei as minhas asas e amarei no mar revoltado de tudo o que te aflige, abri caminho por entre algas, sequei as tuas lágrimas à distância e aterrei enxuto no areal. Imagino as tuas pegadas na areia, ali junto das minhas, pois sei que caminharemos no mesmo ritmo enquanto eu te sentir na minha respiração e tu sintas o meu sorriso cada vez que expiras.
 
Caminha comigo vida fora, já perdemos tanto tempo, não foi meu amor... Sente os passos em cada beijo que te dou e descobre-me em ti todos os dias, como quem descobre conchas lindas no interior de rochas e grutas virgens. Também eu vivi incorporado em ti, até te conhecer.
 
E, meu amor, conhecer-te é como ver a luz do sol e sentir a maresia, todos os dias, como se fosse a primeira vez e como se sempre te tivesse tido comigo.
 
Contigo sou mais eu, sou maior, sou um todo maior que as partes. E a melhor parte de mim, és tu querida. Seremos um só...

Filipe Correia

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.